terça-feira, 15 de agosto de 2017

Keep Calm e deixa fluir

Negócio demorado é a tal de obra. Minha nossa Senhora! Eu tenho impressão que a reforma entrou num loop infinito. Deve ter um portal no meu quarto, alguma força ou energia que rola lá que impede que haja uma conclusão. Chegamos ao décimo segundo dia útil da dita cuja e finalmente começamos a pintar o quarto. A estimativa era hoje já poder habitá-lo, mas a tinta não secou, e amanhã deverá haver outras demãos. Então, keep Calm e deixa fluir. 

 No intuito de ajudar Super Seu Elinaldo a agilizar o processo, resolvemos começar a pintar os azulejos. Veja só, você (eu) que nunca pintou nada além de rabisco no papel, decide que sabe pintar uma parede. Aliás, talvez se a gente tivesse começado pela parede tivesse dado mais certo. Mas, eu, teimosa que só a gota, achei que seria eficiente. Não fui. Paulinho embora tão verde quanto eu ainda conseguiu obter algum sucesso, mas no final das contas, devíamos ter deixado Super Seu Elinaldo fazer o serviço. Ele bem que tentou me dissuadir da ideia, porém, como já lhe disse, eu sou teimosa. E o coitado vai ter que consertar a caquinha que fizemos. C’est la vie.

 Deixando o drama da parte interior da casa e indo para o telhado. Na parte exterior está tudo correndo muito bem. A casa já foi destelhada, as telhas ruins já foram descartadas e estão servindo de entulho para calçar a parte onde haviam os matinhos. Ou seja, até o então momento não estamos poluindo ainda mais o planeta, e assim será até a conclusão da obra! Oremos. 

 Agora vamos para as fotos. Vou mostrar para vocês a situação do nosso quarto, do beiral e frente da casa:
Quarto - parede do banheiro
Quarto - parede da cama
Quarto - parede que fica para o beco da casa
Quarto - parede da TV
Beiral
Beiral
Beiral
Mato sem futuro

‘Cabou. Por hoje é só, pessoal.

 Beijos.

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Precisamos falar sobre Super Seu Elinaldo

Não podemos prever o futuro, mas até então estamos numa fase início de namoro com Super Seu Elinaldo. Ele não nos dá um pingo de trabalho. Traz a comida dele, faz o serviço todo certinho, se aparece um problema ele mesmo resolve. Com ele só soluções. É tanta da solução que eu queria ter dinheiro para ele resolver todas as broncas da casa. Como diria o namorado da minha tia: Tjacalme. Como diria o moço que me tatuou: Todo traço tem seu fim, espere! Como diria... Parei! Acho que eu já entendi o recado. =)

Super Seu Elinaldo nasceu lá em nós, em Jaboatão dos Guararapes. Local onde morei até os seis anos de idade. Morou no Rio, trabalhava como eletricista, mas tem paixão por consertar máquinas de lavar. Ele é um cabra bem curioso e só sossega quando descobre os mistérios das coisas. Ele não enrola. Ou pode fazer, ou não pode. Gosto de gente assim. Odeio ser enrolada, alias, quem gosta, né? Até então ele vem se mostrando um homem bem correto e muito profissional. Estamos adorando. Eu já contei que ontem ele lavou o nosso banheiro? Eu não sei se esta pratica é comum, mas adorei ele ter me poupado de tirar aquele poerão todo. Já que falei em banheiro e poeira farei o resumo de hoje: ainda falta fazer umas bobagens, aquelas que requerem paciência. E a notícia boa é que ele deu um gás da gota no nosso quarto. Os pontos das tomadas foram instaladas, ele já raspou as partes falhas da parede, cimentou um pedaço. Acho que teremos quarto-novo no final de semana. Axé!

Não lembro se comentei aqui ou em mesa de bar o gosto musical de Super Seu Elinaldo. Gente, ele escuta Queen, Simon & Garfunkel, Pink Floyd. Ele conquistou o coração de Paulinho com Pink Floyd. Ele fica trabalhando, ouvindo a musiquinha dele, que nos agrada muito. Não nos atrapalha em nada.

Hoje ele trouxe um amigo ajudante. Também muito tranquilo, Seu Sérgio. Seu Sérgio ficou na parte da frente da casa, fazendo as melhorias na parte externa. Rapidinho se desfez dos matos. Iremos pavimentar, cimentar, socializar, não sei o nome certo disso. Sei que os matos se transformarão em concreto. Eu sei que a casa ficará mais quente, mas a vida é muito curta para ficar passando a enxada. Eu juro que terá verde. Em vasos. Outras coisas foram adiantadas. Acho que agora em dupla a obra fluirá mais rápido. Por favor!

Cansei de escrever.  O processo da reforma foi um pouco estressante hoje. Barulho de um lado e do outro. Poeira de um lado e outro. Foi tenso. Talvez este seja o tópico de amanhã. Por hoje só deu Super Seu Elinaldo mesmo. Amenidades.

Se eu não conseguir escrever nada amanhã. Aniversário de minha mainha. Tento atualizar vocês com fotos.

Drop the mic.


Beijos.

terça-feira, 8 de agosto de 2017

Segunda semana

Ontem demos início a segunda semana das obras. Na sexta havíamos uma previsão para finalizar o banheiro na segunda-feira. Hoje é terça, e ainda não terminamos, mas já estamos naqueles 93%. Falta instalar umas coisas, precisamos comprar outras, e como ajudaremos na pintura dos azulejos, esses 100% se arrastaram por mais um tempo. Porém, de um jeito ou outro, amanhã Super Seu Elinaldo começará o nosso quarto. Aleluia! 

Tirei o dia hoje para desapegar. Pense numa pessoa apegada sou eu, neta de Ivete. Armaria! Podia ser menas. Enfim, tivemos que desmontar nosso querido e feinho quartinho para dar alas aos novos pontos de tomada! Tome tomada. E o quarto novo merece energia nova. Não tem cama nova. Não tem cômoda nova. Tudo permanancerá no mesmo lugar que estava, MAS, aquele acúmulo de roupas-não-usadas e bijuterias paradas, ganharão novas donas. E espero que estas sejam muito mais felizes que foram comigo.

Dormiremos no quarto d’Apriska* até que o nosso esteja tomadado, cheirosinho e poeira free. Falando nisto. Olhe, ontem foi o dia de fato e de merecimento, top das galáxias no quesito subiu o poeirão. Poxa, a casa ficou toda tomada de pó. Tivemos. Minto. Paulinho teve que fazer uma faxina para conter o caos e me manter respirando. Adiantou médio. Não consegui dormir, migrei para a sala, voltei para o quarto. Acordei marido. Foi muído. Um ponto positivo para esta noite mal dormida foi que eu acordei com a gota e fiz o que mais odeio no mundo: arrumar a casa. Espanei tudo que eu podia. Organizei. Me desfiz. Até o final da obra esse será nosso destino. Desorganizar para organizar.


Final de semana foi intenso e acabei não postando as fotos no sábado, nem no domingo, nem ontem. 

Aqui vão elas:

Vai virar nicho.

Olhe para o ventilador e não espirre!

O banheiro ficou limpinho. <3

Detalhes tão pequenos de nós dois.

Virou nicho.




 *O quarta d’Apriska é o quarto de visitas da casa. Como ela é quem mais o utilizou  fizemos este tributo.

p.s: se não intercalar foto com texto. Ele fica organizadinho. ;)

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Porcelanato cimentício

A pedra que antes não era propriamente nomeada por falta de conhecimento agora tem até sobrenome. Acabou-se mistério. Trata-se de um porcelanato cimentício. Vamos falar a verdade, esse nome é muito adulto. Consegue ser mais adulto até que reforma! Muito phynno também - cimentício - bem digno. Mais uma vez agradecendo a Mainha e Fernando pelo porcelanato.

Foco. Voltando a obra. Super Seu Elinaldo disse que na segunda-feira quer terminar o banheiro. Saravá! Ele já cobriu quase todo o piso. Tirando isto, fica faltando instalar a luminária que ficará sob o espelho e o chuveiro elétrico; arrumar um buraquito ou outro; tirar tudo que for rosa e pintar; colocar o vaso sanitário de volta ao seu lugar; e por fim deixá-lo bem branquinho. Depois que pontuei o que falta, começo a achar que talvez na segunda não termine o banheiro. Respire, mas não tão fundo para não entrar poeira nos pulmões.

Falando em poeira. Não importa se você toma banho, limpa o quarto (que está quase dentro da obra), a sensação que você está empoeirada não sai de você. É muito doido. É o tempo inteiro você se sentindo meio acinzentada, meio cheia de pó. Espero que com esses dois dias de folga a sensação saia. Ou eu me acostume. hahahahah

Hoje não terão fotos porque tenho que ir pra farra e não posso me atrasar. Mas amanhã, eu faço uma pequena postagem apenas para mostrar as fotos.

Bom final de semana.

Beijos.

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

No capítulo de hoje

Terceiro dia de obra c'est fini. Não teremos fotos hoje, o banheiro está caótico. Muito poeira, muita sujeira. Acreditem em mim, não tinha nada de bom para olhar! O vaso sanitário foi retirado, para que o adorável novo piso seja instalado. A parte do box está quase toda completa. Acho que falta rejuntar algumas partes. Falando nisto, Super Seu Elinaldo disse que as pedras que peguei lá em mainha - àquelas que eu não sei se são cerâmica, porcelanato, ou qualquer outra variação dessas - se encaixam uma nas outras, daí só precisa rejuntar mesmo as bordas. E de fato, ficaram bem coladinhas, parece até que é uma peça só de cimento queimado. Vai ficar um charme só. Morta de ansiedade para ver o banheiro todo pronto.

Passado este momento de anseio e voltando a obra. Acho que este foi o dia que mais foi gerado poeira desde que a obra começou (na terça!). A porta teve que ser serrada na base para que fique nivelado ao piso que será sobreposto. Daí tu tira a quantidade de pózinho que subiu. Além de quê, subiu um cheiro de queimado e a casa, de repente, estava toda esfumaçada. Fomos abrindo todas as portas e janelas para minimizar que o cheiro não impregnasse na casa. E não impregnou. A casa não pegou fogo. Seguimos com nossa programação normal.

Não sabemos ainda quando terminaremos o banheiro, mas acredito que isto não se estenda por mais uma semana. Tenho fé que adiantaremos, mas sei que o nosso banheiro não ficará apto para uso no final de semana. Não ainda! A ideia é terminar o nosso banheiro e ir para o nosso quarto, implantar tomadas - muitas tomadas - e dar um grau nas paredes que estão de sofrer. Aliás, as paredes das casas de João Pessoa que sobreviveram a essas chuvas estão de parabéns! 

Bem, acho que esses foram os babados da obra de hoje.

Beijos.

p.s: Hoje as fonte mantiveram-se, estão de parabéns. Depois testaremos se essa picuinha é só quando coloca as fotos ou não. Cenas para o próximo capítulo.

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Querido diário

Hoje foi nosso segundo dia de obra, meu povo. Tudo ocorreu dentro dos conformes, sem crise, sem precisar puxar os cabelos, soltar os cachorros. Acordei viva, isto já é um ponto positivo. Até quem não é alérgico, se torna no meio desse Saara de poeria. Então, no resumo da obra: foi um dia positivo.

The poeira is coming.

Estou bem cansada e vou facilitar a vida de vocês colocando um monte de fotinhas para vocês acompanharem nosso diário de obra. As fotos abaixo são do box do banheiro. Ele também tem esse piso marrom horrível, porém como vocês podem ver, eles estão sendo substituídos. Não sei se é cerâmica, porcelato, sei que é uma pedra linda que parece cimento queimado (<3) que tinha de sobra da obra da casa de minha mãe, e ela e e marido cederam algumas pra gente. Muito obrigada mainha e Fernando, vocês são demais!

O teto fofo (que não é de bonitinho) foi todo raspado. Está todo liso e preparado para receber uma mão de massa para deixar ele retinho e futuramente brevemente pintadinho todo lindinho. =)



Deixei o melhor para o final. Olha como já deu um outro astral ter tirado aquele espelho embutido da nossa infância-querida-que-os-anos-não-trazem-mais. Esta pedra que também não sei o nome - tô boa que só de reforma - já nos deu esperança que nosso banheiro reformado na doida vai ficar bem charmosinho. Este tom de rosa se tornará branco mesmo e será pintado por a gente. Que lindo! Estou super ansiosa para vê-lo todo lindo e todo pronto. 



Só tenho isto a lhes dizer por agora. Espero que eu consiga manter esse diário bem atualizado.

Beijos.

p.s: não sei o que fazer pra resolver o problema das múltiplas fontes. Desisto. 

terça-feira, 1 de agosto de 2017

O retorno

Faz bastante tempo desde a minha última postagem. Achava até que não ia conseguir mais acessar ao blog, porém cá estamos! Viva o Google.

Resolvi retornar para mais uma aventura. A nova aventura, aquela que nunca antes fora citada por aqui: a aventura de ser adulta. Não que eu seja – longe de mim - mas as vezes a gente se obriga a fazer uma coisinha ou outra. Enfim, vamos falar sobre um dos assuntos que eu considero ser, talvez, o mais adulto de todos os assuntos adultos: reforma.

Voltei para falar de reforma, veja só, que adulta! Hoje comecei uma série de pequenas melhorias na casa que eu moro. Eu coabito junto com meu marido. Meu marido. Que adulta! Aqui a casa é velha, não tem muitos pontos de tomadas, é tanta da extensão e de adaptador de tomadas que a cabeça da gente dá até um nó junto com os fios. Partiu daí a ideia de fazer essas melhorias. Encher a casa de ponto de tomada. Ai uma coisa puxa a outra e de repente aparece mil ideias, o pinterest ao invés de ajudar, te atrapalha, porque quando você decide que viu a coisa mais linda do mundo que você mesma pode fazer, aparece outra mais linda e mais fácil. Olhe, a pessoa fica mais confusa que esse texto.

Enfim, das tomadas decidimos quê: já que vai rolar essa reforma por que não nos trazer paz de espirito trocando ou pintando os azulejos que a gente tanto odeia. E decidimos que íamos fazer. E já começamos a fazer a reforma sem projeto. Olhe, fazer as coisas assim na tóra, dá um medo da gota. Mas nada pode ficar pior que um piso marrom e um azulejo rosa bebê. Pode! Mas não será nosso caso. Oremos!

A obra começou exatamente hoje. E pelo nosso banheiro. Vou mostrar para vocês a bagunça e belezura-só-que-não do cômodo.


Este era o nosso banheiro.



Ele passou por isto. Um ataque de cupins assassinos que foram exterminados por Seu Rato. Sério, se tiver alguma praga dessa na sua casa, Seu Rato resolve. 


E agora no final do primeiro dia o banheiro está assim: empoeirado mas com toda a pinta que ficará lindinho. <3


Por hoje é isto. Espero que amanhã eu tenha inspiração para lhes contar como foi o segundo dia de obra. Desculpem o textão, eu escreveria mais até - a lhoca -  porém acho que a partir de agora não sai mais nada de produtivo, só loucura mesmo. =)

Até amanhã, quem sabe. 

p.s: Por alguma razão o blogger tá achando bonito não padronizar a fonte. Eu tentei, mas não consegui deixar organizadinho. Perdão.